Versão para impressão

Mais uma morte! Será em vão?

No passado dia 25 de Novembro de 2009, um trabalhador ao serviço na Incineradora de São João da Talha, faleceu, na sequência do exercício da sua actividade profissional.

No inicio do novo ano de 2010, é importante prestarmos uma sentida homenagem a este e outros trabalhadores que falecem dia após dia nos nossos locais de trabalho, vítimas da negligência e incúria de quem lhes organiza e dirige o trabalho.

Este era mais um trabalhador temporário ao serviço de uma empresa de “outsorcing”. Dá que pensar.

A eles a nossa sentida homenagem.

Um trabalhador, indirectamente ao serviço da Valorsul, como muitos outros, era trabalhador temporário. Se o facto de ser trabalhador temporário, por si só já não fosse suficiente para agravar a sua condição, acrescia ainda o facto de este ser um trabalhador ao serviço de uma empresa de “outsorcing”, em bom português, de prestação de serviços, que desenvolvia actividade para e nas instalações da Valorsul.

Esta moderna fábrica, a célebre incineradora de S. João da Talha, deveria ser um exemplo de segurança e protecção da saúde dos trabalhadores. Mas não é, e não é, porque tal como a maioria, insiste em continuar a contratar trabalhadores duplamente precários, para desempenharem tarefas que fazem parte do seu “Core Business”. É sobre este trabalhadores que mais se faz sentir os efeitos da precariedade, de vido à sua desprotecção contratual.

Para quem conhece a realidade, não subsistem dúvidas de que este tipo de contratualização mais não é do que uma amálgama de factores potenciadores do aparecimento de riscos laborais.

Porque estamos no início do ano e porque é cada vez mais imperiosa a nossa luta contra estas situações, reafirmamos a nossa luta contra a precariedade, prestando a nossa homenagem a mais um trabalhador falecido.

Façamos com que a sua morte não tenha sido em vão!

A campanha de SHST da CGTP-IN